Salvem vidas preciciosas e dêm a paz uma chance! O Ebolá é prevenível e controlavel

Outubro 2014

Somos uma Rede Pana-Africana de Apaziguadores proveniente á mais de 30 paízes a volta do continente Africano e que representa mais que de 20 organizações. Os nossos Membros do Comité de Sindicato, tém representantes que da África Ocidental, Áfeica Oriental, África Central, África do Norte, África Austral e das ilhas Africana. Outros membros também vêm do Médi Oriente, Ásia, Europae das Americas. Trabalhamos ao nível da comunidade, trainamos e mobilizamos as communidades a não á violência para o asseguramento da paz.

Por emenquanto, estamos perturbados e alarmadamente pela a expanção viciosa duma prevenível e controlavel virus do Ebolá que apenas não está a matar pessoas mas, que está a semeando medo e ainda mais, destabilizando as comunidades da África Ocidental. Em quando a crize do Ebolá veio a ser uma emergência global, estamos preocupados apenas por não houver uma vontade política no nível global para um lançamento suficiente, e ações de imediato imediata bem planeadoo de por ao fim a epedêmia e salvar vidas preciosas. Como foi dito pela Organização Mundial da Saúde, OMS, poderá apens levar seis á nove meses pór esta devastação num fim. De igaul maneira, estamos profundamnete perturbados do grosso tratamento de desigualidade que é feito lá fora pelo mundo na sua resposta perante esta crize prevenível na África Ocidental. Em quando aqueles que vêm dos paízes mais desenvolvidos têm recebido tratamento rapido e respondendo positivamente do ensaio tentativo das drogas, no enquando, e aqueles que se encontram nos paízes africanos sucumbem do virus desnecessariamente. Como foi observao pelo Peter Piot, o pesquizador que descobriu o virus, “o virus tirou mill vidas de Africano (s) e a reparação de dois Americanos antes da emergência pública foi delarada”. A nossa falha de agir agora, pode apenas nos lidar em mais questões catastróficos na Líberia, Guiné Conacri e a África Ocidental inteira.

A falha de não agir agora, também poderá lidar-nos nas condições de intensificações para violência e conflito, como o povo lutam para alimentação, medicamentos e outras necessidades basicas. Eenquando recohnecemos a responsibilidade da União African, UA, que já está no lugar, a rapida intervensão da Cuba e os trabalhos emprestadas pelas as organizações comunitárias que agora está em progresso, nós apelamos (ambos aos líderes dos governos e não governamentais dentro e fora do continente) ou (as Nações Unidas e líderes de paizes com recursos eficientes) para uma urgência de intervenções de apoios medical e humanitário na qual, que irá de assegurar, que um maxímo número de vidas podem ser salvos.

Chamamos a UA de melhorar as suas intervenções em mandar um Enviado especial na Luta contra o Ebolá com efetividade immediato. O Enviado tém que ter o mandato de tomar todas a medidas, sobre a qual, o orçamento e a autoridade em curto curso, tomar ações para efetivamente responder as rapidas mudanças e circunstâncias. Também para o Eviando tomar conta do fundo especial de assuntos de imediato e de longo curso de necissidades medicais e socio-economicos para as naçõs e cuomunidades afetadas pela crize. Ao mesmo tempo e, rigorozamente apelamos para a não militarização da assistência humanitária nas zonas afetada. De outro lado, tém que se houver cuidados sobre a qual o depoimento military da saúde restritamente sobre as autoridades civís. Estamos preocupado que esta crize humanitária e medical não deve ser explorada para as continuações de fims militar, politicos ou vantagems economicos por um país ou partido. A crize do Ebolá é uma mainfestação de baixo  desenvolvimento e deploramento do sistema de cuidados de saúde na maior parte da África, proveniendo e emergindo de guerras e conflitos violentos. A Líberia foi altament afetada pela esta crize porque é um estado fragíl, que está a recuperar de decadas de turmúlio e de guerra civil. Estamos apelar para passos imediato, o amelhoramento das infrastruturas da saúde para todos os paizes no continente Africano agora e no futuro.

Apenas, podemos derrotar a epedemia do Ebolá se reconhecermos que isto não é um problem local, mas uma ameaça global com responsabilidades comuns da qual, precisa-se de uma ação coordenada Internacional, sem favor usando a tecnólogia medical disponível or existente no mundo com pessoas centradas e numa ação coordenada Internacionalmente, podemos lidar o emfermo, e construindo uma sociedade saudavel e pacífica.

Apelo da Rede Pana-Africana á Não Violência e Promulgação da Paz para os Líderes do Mundo

Feito pelo:

Miguel Gomes Antonio  (Angola)  SACHI

Elavie Ndura  (Burundi/USA)

Rosemary Garsi  (Cameroon) Embrace Dignity

Koldobi Velasco  (Canary Islands) AA-MOC

Diaku Dianzenza  (DRC / South Africa

Sherif Joseph Rizk (Egypt)

Kesia-Onam Togo-Birch (Ghana) WANEP

Benard Lisamadi Agona (Kenya)  CAPI

Steve Sharra (Malawi)  LCD Malawi

Fiona Mwale (Malawi)  AWANICh

Paulina Dempers (Namibia)  Namibia United African Alliance Community

Oussenia Alidou (Niger / USA) African Women Coalition Against War

Olufemi Oluniyi (Nigeria / USA) AFPREA

Nozizwe Madlala- Routledge (South Africa) Embrace Dignity

Moses Monday John  (South Sudan) ONAD

Mamoun Abdallah (Sudan) SONAD

Musa Hlophe (Swaziland)

Abdeslam Omar Lahsen  (Western Sahara) AFRAPRADESA

Charity Mungweme (Zimbabwe / South Africa) Action Support Centre

Miles Rutendo Tanhira (Zimbabwe / Sweden) Journalist

Contact Persons:

Moses John (mosesjoa@gmail.com) & Nozizwe Madlala-Routledge(nozizwemr@gmail.com)

(Co-Convenors)

Programmes & Projects
Countries
Theme
Institutions

Adicionar novo comentário

This question is for testing whether or not you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.

Image CAPTCHA
Enter the characters shown in the image.