Semana de Acção contra a Nato NATO 15-21 Novembro 2010 Lisboa, Portugal

ICC, International Coordinating Committee No to War – No to NATO
PAGAN, Plataforma Anti-Guerra Anti-NATO Portugal

A NATO é um crescente obstáculo para se alcançar a paz mundial. Desde o fim da Guerra Fria, a NATO reinventou-se como uma ferramenta para a acção militar, por parte da “comunidade internacional ", incluindo a promoção da chamada " guerra ao terror ". Na realidade, é um veículo para o uso da força, dirigido pelos EUA, com bases militares em todos os continentes, ultrapassando as Nações Unidas e o sistema de Direito Internacional, acelerando a militarização e a escalada das despesas com o armamento - os países da NATO são responsáveis por 75% da despesa militar global. Prosseguindo aquela agenda expansionista desde 1991, para firmar os seus interesses estratégicos e sobre os recursos, a NATO iniciou a guerra nos Balcãs, sob o pretexto da chamada "guerra humanitária" e, durante quase nove anos, tem travado uma guerra brutal no Afeganistão, numa trágica escalada, que se vem expandindo para o Paquistão.

Na Europa, a NATO agrava as tensões, alimentando a corrida aos armamentos, com a chamada "defesa anti-mísseis", um enorme arsenal nuclear assocado a uma política de primeiro ataque nuclear. A política da UE é cada vez mais ligada à NATO. A procura de uma potencial expansão da NATO na Europa Oriental e, mais além, bem como as suas operações "fora de área" estão a tornar o mundo um lugar mais perigoso. O conflito no Cáucaso é uma indicação clara desses perigos. Cada avanço da fronteira NATO aumenta a possibilidade de guerra, incluindo o uso de armas nucleares.

Para alcançar a nossa ambição de um mundo pacífico, rejeitamos as respostas militares à crises mundiais e regionais - aquelas, são parte do problema, não parte da solução. Recusamos viver sob o terror das armas nucleares e rejeitamos uma nova corrida aos armamentos. Temos de diminuir as despesas militares, dirigindo, alternativamente, recursos para a satisfação das necessidades humanas. Temos de fechar todas as bases militares estrangeiras. Opomo-nos a todas as estruturas militares utilizadas para a intervenção militar. Temos de democratizar e desmilitarizar as relações entre os povos e estabelecer novas formas de cooperação pacífica para construir um mundo mais seguro e justo.

Na sua próxima cimeira, em Portugal, a NATO irá decidir sobre uma nova estratégia. A nova estratégia da NATO incluirá a continuação da guerra no Afeganistão, as intervenções contra outros países, a expansão para Oriente e para Norte e a continuada instalação de armas nucleares. A ameaça mais candente é que a utilização e a modernização do armamento nuclear continuará a ser uma parte central da nova estratégia.

O movimento internacional pela paz e outros movimentos vão protestar contra estas políticas belicistas e apelam para a abolição da NATO.

Semana de Acção

Quarta e Quinta-feira
Acções e eventos locais e regionais

Sexta-feira e Domingo
Congresso Internacional: Contra-Cimeira contra a Guerra e a Estratégia da NATO, realizada pela organização "Não à Guerra - Não à NATO" em conjunto com a PAGAN e muitas outras organizações portuguesas.

Sábado
Manifestação internacional "Não à Guerra - Não à NATO"

A nova estratégia da NATO é a continuação e amplificação da antiga política da NATO virada para a guerra.

Dizemos NÃO!

Para futura informação e contacto, por favor escreva para:

http://www.no-to-nato.org
info@ialana.de
http://antinatoportugal.wordpress.com
antinatoportugal@gmail.com

Countries
Theme
Institutions

Adicionar novo comentário